quarta-feira, 27 de julho de 2011

Varanda de Cruz das Almas

video
Sebite

Denominações
Sebinho, Sebito, Sebite, Caga-sebo, Amarelinho, Tem-Tem-coroado, Guaratã, Cambacica - (Coereba flaveola)
À primeira vista é muito parecido com o bem-te-vi, só que é bem pequeno, cabendo na palma da mão. Gosta muito do néctar das flores, que disputa com os beija-flores. Do mesmo modo, frequenta avidamente os bebedouros com água açucarada. Chama a atenção quando fica pendurado com a cabeça para baixo, tentando alcançar uma flor. O macho constrói seus ninhos esféricos apenas para dormir neles, mesmo fora do período de incubação.
Tamanho: 9 cm.
Características
Passarinho pequeno com as cores básicas do bem-te-vi, mas com bico fino e curvo. Distribuição: ocorre em quase todas as regiões do país, podendo estar ausente de regiões extensivamente florestadas, como no oeste e centro da Amazônia. É encontrada desde o México, e em todos os países da América do Sul, com exceção do Chile.
Habitat:
Vive em todos os tipos de mata secundária, e em uma grande variedade de ambientes abertos e semi-abertos onde existam flores, inclusive em quintais. É uma das espécies mais comuns e abundantes do Brasil, deixa-se observar a pouca distância. Vive solitária ou aos pares e é bastante ativa. Toma banho muitas vezes, por causa do contato com o néctar pegajoso.
Manifestações sonoras
Seu canto é relativamente forte, simples e monótono, e emitido incansavelmente. Canta a qualquer hora do dia e em qualquer época do ano. A fêmea também canta, mas pouco e por menos tempo. Para amedrontar um rival, põe-se de pé, estica o corpo e vibra as asas. Muito briguentas, as cambacicas chegam a cair engalfinhadas no solo, onde continuam a luta.
Reprodução
Faz dois tipos de ninhos esféricos: um é construído pelo casal para reprodução e o outro serve para descanso e pernoite. O primeiro é bem acabado, relativamente alto, de parede grossa e compacta. É feito de palhas, folhas, capins e teias de aranhas. O acesso para a câmara incubatória é pequeno, superior e dirigido para baixo, coberto às vezes por palha. O segundo tipo é menor, mais achatado e de parede frouxa., com entrada larga e baixa. Põe dois ou três ovos brancos, com pontos pardo-amarelados e uma coroa de manchas azul-acinzentadas. A incubação é feita exclusivamente pela fêmea. O macho auxilia na alimentação da prole, regurgitando o alimento que, nessa etapa, é constituído em grande parte por insetos.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Varanda de Cruz das Almas

Navios

São raros, mas agradáveis os momentos em que acompanhamos da varanda do nosso apartamento navegando em alto mar, navios cargueiros, petroleiros e de transporte de passageiros.
A nossa reação é de contemplação
A seguir alguns registros destes momentos a partir da Varanda do meu apartamento.

 

video


quarta-feira, 8 de junho de 2011

Varanda de Cruz das Almas

Gavião-carijó
(Rupornis magnirostris)

Gavião Carijó

O gavião-carijó é um gavião da família dos acipitrídeos, encontrado em diferentes ambientes, ocorrendo do México à Argentina e em todo o Brasil. No Brasil é a espécie de gavião mais abundante.
Descrição: A espécie possui cerca de 31 a 42 cm de comprimento, com plumagem variando de cinza a marrom e negro nas partes superiores, peito cinza, asas com base das primárias ferrugíneas, partes inferiores barradas de canela, cauda com quatro ou cinco faixas escuras, ceroma, íris e tarsos amarelos.
Alimentação: Este gavião alimenta-se de atrópodes, pequenos lagartos, cobras, pássaros e roedores.  Seu principal método de caça consiste em sair a partir de um poleiro (galhos, postes, fios elétricos), se atirando sobre a presa em seguida. Ataca ninhos de outras aves e por isso é perseguido por suiriris, bem-ti-vi e tesourinhas.
Reprodução: O gavião-carijó vive em casais que constroem ninhos revestidos por folhas com cerca de meio metro de diâmetro no topo de árvores. A postura de em média 2 ovos é depositada sobre um revestimento de folhas secas e incubada pela fêmea. Durante este período de cerca de um mês, a fêmea é alimentada pelo macho.
Hábitos: Habita campos com árvores, bordas de florestas, capoeiras, margens d rios e lagos a áreas urbanas.  Vive solitário ou em pares. Sobrevoa cidades em vôos circulares. É extremamente territorial, anuncia sua presença circulando em vôos altos, aproveitaando as correntes de ar quente. Quando o intruso persisgte em se aproximar do ninho por exemplo, o gavião-carijó realiza vôos razantes podendo atacar o invazor utilizando-se de suas garras afiadas.
Ameaças: A grande ameaça é a destruição ambiental e caça indiscriminada. As aves de rapina têm um papel indispensável no equilíbrio da fauna como reguladores da seleção. Evitam uma superpopulação de roedores e aves pequenas (como é o caso dos ratos e pombos nos centros urbanos) além de eliminar indivíduos defeituosos e doentes.
video




quinta-feira, 2 de junho de 2011

Varanda de Cruz das Almas

HISTÓRICO SOBRE O DIA DO MEIO AMBIENTE E DA ECOLOGIA

O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado em 5 de junho. A data foi recomendada pela Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, realizada em 1972, em Estocolmo, na Suécia. Por meio do decreto 86.028, de 27 de maio de 1981, o governo brasileiro também decretou no território nacional a Semana Nacional do Meio Ambiente.


Algumas coisas que você pode fazer pelo Meio Ambiente:
Ø  evitar corte desnecessário em árvores e plantar mudas nativas;
Ø  não aprisionar animais em gaiolas ou aquários nem comprar animais em aviários;
Ø  não abandonar cães, gatos e outros animais domésticos;
Ø  não jogar sacolas plásticas ou chicletes ao chão, que engasgam e matam pequenas aves;
Ø  não adquirir animais da fauna silvestre para transformá-lo em animal de estimação, como papagaios, tartarugas, cágado, sagüim, micos-leão, entre outros;
Ø  não assistir a espetáculos que explorem animais tais como: rodeios, touradas, corridas ou rinhas; e
Ø  denunciar maus-tratos e cobrar a ação dos órgãos ambientais.

Ajude a preservar a vida, preservando a natureza, você também faz parte dela.